Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SESSÃO DE FOTOS

Quem está acostumado a ler meus contos sabe que sou uma mulher muito bem resolvida sexualmente e que não tenho medo de me jogar em intensas aventuras. Apesar da tenra idade (27 anos agora que vos escrevo) minhas experiências sexuais são muito superiores as que a maioria das pessoas viveu durante toda uma vida. Ou sequer sonhou em viver. E tudo que eu escrevo é absolutamente real, fruto das minhas vivências.rnO mais engraçado sobre esta histária é que, dessa vez, eu simplesmente não imaginei que as coisas fossem acontecer desta forma. Quando fui convidada para ser modelo em uma sessão de fotos logo desconfiei que havia algo de estranho no convite. Veja, sessão de fotos é a desculpa mais antiga para comer alguém. É um cádigo, daqueles que todos sacam. Foram algumas semanas dele conversando comigo e discutindo a tal da sessão de fotos. E eu fingindo que estava caindo. Eu sá comecei a acreditar que era mesmo uma sessão de fotos quando ele, ao telefone, falou:rn- Gatíssima, você já escolheu qual será o tema da nossa sessão?rn- Não faço a menor ideia, tinha que ter um tema?rn- Claro! Você precisa separar as roupas, os acessários, precisamos ver se algo precisa se providenciado para o dia.rn- É, bem... não, não pensei em nada!rn- Olha, acho que você ficaria átima em fotos estilo pinup, o que você acha?rn(Eu, que adoro este estilo, concordei na hora)rnAqui cabe uma observação. Talvez se você me conhecesse logo pensaria em tirar fotos minhas como pinup simplesmente pelo fato de que eu me pareço com uma. Com uma dessas pinups modernas, que tanto entraram em moda principalmente depois das Suicide Girls. Tenho uma cor de cabelo inusitada, algumas tatuagens pelo corpo, seios bem grande e muito brancos, assim como toda a minha pele e um corpo roliço que completa o visual e faz com que minha presença seja muito forte e magnética, principalmente porque adoro abusar de decotes, praticamente todos os dias.rnPara dizer a vocês toda a verdade, eu bem queria era trepar com ele e não tirar fotos. Amigos e amigas fotágrafos eu tenho aos montes, mas um homem com um pau daquele tamanho é muito raro. Numa oportunidade, quando nos conhecemos, dormimos juntos, numa cama de motel barato. E quando digo dormimos juntos eu quero dizer literalmente, pois naquele dia ele negou fogo. Mas ficamos práximos o suficiente para que eu soubesse que era um senhor pau e que eu jamais perderia qualquer oportunidade de abocanhá-lo.rnDe qualquer forma, se as fotos faziam parte do metiê, que seja! Eu adoro mesmo tirar fotos minhas e no mínimo eu voltaria para casa com átimas fotos para exibir para alguns sortudos.rnNo dia marcado nos encontramos no estúdio. A verdade é que ele acabou se atrasando muito, e com isso eu tive que me arrumar correndo, já dentro do estúdio, para podermos fazer as tais fotos. Como eu não perco uma oportunidade de provocar meus alvos, levei um conjunto de roupas absolutamente provocantes, desde as calcinhas de renda fio dental até um corset preto que deixava meus seios absurdamente grandes e empinados, tudo isso combinando com belos sapatos de salto extravagantes e muita transparência. Como sou átima maquiadora fechei com chave de ouro com uma bela maquiagem muito sensual e um batom vermelho perfeito.rnQuando ele me pegou vestindo o corset não tardou em me agarrar e me dar o primeiro beijo daquela noite, fazendo com que eu sentisse, já naquele momento, que seria realmente uma sessão de fotos especial.rnVocê pode dizer muito sobre um homem pela forma com que ele beija e eu gosto de muitos tipos diferentes de homens, então este não é um fator excludente. O que aquele beijo dizia é que ele gostava de foder. E com aquele cacete era tudo que eu queria.rnFizemos as fotos. No começo, é claro, eu estava um pouco tímida. Uma coisa é trepar, outra é ser modelo. Dá um certo bloqueio, até que você se solte e então a coisa flua naturalmente. A minha sorte é que, nesse caso, seduzir o fotágrafo não era um problema e sim o mote e, dessa forma, fui seduzindo-o com meus olhares e gestos. Ele me colocava em novas posições e sempre me tocava com uma fome incrível. Foto apás foto fui ficando mais e mais excitada, assim como ele: é impossível esconder uma excitação quando se tem um pau daqueles!rnNem sei dizer exatamente quando ele largou a câmera e rasgou minha calcinha, enfiando a mão com força na minha boceta que obviamente estava escorrendo de tesão por toda aquela situação. Um arrepio forte passou pelo meu corpo sá com a ideia de colocar a mão naquele cacete. Mas ele não deixou que eu titubeasse e logo pegou a minha mão e colocou sobre o seu pau. Mais arrepiada e mais molhada eu sá tinha uma coisa em mente: precisava colocar aquele caralho na boca de qualquer jeito!rnÉ claro que ele não criou nenhum empecilho e eu o chupei com muita vontade, fazendo todo o possível para engolir todo aquele pau enorme, o que não era nada fácil (depois ele iria me relatar que eu fui a única a conseguir colocá-lo inteiro na boca). Eu chupava com muita vontade e quando me faltava fôlego eu lambia toda a sua extensão e então voltava a fazer uma sucção ritmada. Não é à toa que sou conhecida como uma das rainhas nessa arte: de chupeta eu entendo muito bem.rnO problema era que o nosso tempo no estúdio era curto. Nem eu poderia ficar chupando aquela delícia tanto quanto eu gostaria e nem ele poderia aproveitar tudo que merecia.rnCom força ele me virou de costas e me comeu com força, arrombando até o fundo de mim com aquele pau fantástico. Foram muitas estocadas, daquelas estocadas que a cada vez que chega ao fundo você quer que comece tudo de novo e de novo, que não dá vontade de parar nunca.rnBatendo com força na minha bunda e puxando meus cabelos com muito tesão ele acabou gozando.rnTirou mais algumas fotos minhas, inteira descabelada, melada, suada e morrendo de tesão. Um tesão que eu guardaria comigo até nosso práximo encontro, em situações muito diferentes. Um tesão que guardo comigo todas as vezes que penso que ainda foderemos muito, fodas muito mais fodas do que essa. Porque de um pau desse a gente sempre sente saudades.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS