Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA EX

Quando ainda éramos namorados, nossa relação sempre foi quente, transavamos em qualquer lugar e a qualquer momento, conhecíamos o corpo um do outro melhor do que os nossos práprios, infelizmente o amor não foi tão forte, mas o tesão, esse sim continua.rnDepois de um bom tempo sem nos falamos, achamos que seria interessante nos vermos de novo e marcamos de sair, não era a primeira vez que fazíamos isso depois do termino do nosso relacionamento, mas com certeza foi a mais prazerosa.rnPassei na casa dela, ela baixinha, a pele morena bem clarinha, cabelos bem negros escovados na altura do ombro, vestida com um vestido sem alças, preto e branco com estampas de flores, e tinha as unhas das mãos e dos pés pintadas de vermelho. Fomos até um barzinho, conversa vai conversa vem, uma cervejinha e agente se beija, nosso beijo se encaixava perfeitamente, mau meus lábios tocam a boca dela e meu pinto já endurece, era muito tesão um pelo outro, saímos de lá, entramos no carro, nossas bocas já estavam alucinadas e minhas mãos percorriam todo o corpo dela. rnMesmo dirigindo não tirava as mãos dela, esfregava em sua perna e escorregava por debaixo do vestido, dava pra ver ela se arrepiando, enquanto mordia o lábio, cheia de tesão, as mãos dela também apertavam minha coxa e tocava levemente no meu pau, ela dizia ?tenho medo de atrapalhar você na direção?. Paramos no primeiro Motel que havia no caminho, porém esse estava lotado, era sábado à noite, e precisamos procurar outro. rnParamos no práximo, também cheio, porém nesse poderíamos esperar até liberar um quarto e foi isso que fizemos, a fila de espera estava grande, o que praticamente nos obrigou a começar por ali mesmo. Ainda por cima do vestido, eu tocava os peitos dela, deslizava pela barriga e pelas pernas, colocando em baixo do vestido e sentindo a umidade na sua calcinha, uma calcinha preta! Não resisti e coloquei meu dedo dentro da calcinha tocando o clitáris, ela gemeu baixinho, mas pediu pra mim parar, pois já não aguentava mais de tanto tesão.rnAbri o zíper da minha calça e coloquei meu pinto pra fora, ela meteu a mão nele e começou a punhetar, tive que pedi pra ela parar se não gozaria ali mesmo, ela para e diz: ?Que vontade de por ele na boca?, porém inibida com o grande movimento de carros ali naquele momento ela acha melhor esperar subirmos até o quarto.rnFinalmente o quarto é liberado, já saímos do carro nos agarrando com ainda mais vontade. Ela sobe a escada na minha frente e eu segurando a cintura dela e esfregando meu pau na bunda dela, quando abrimos a porta ela já jogou a bolsa no chão, tirou as sandálias e como o vestido é fácil de tirar em segundos ela já estava apenas de calcinha na cama daquele quarto, que com um espelho enorme na parede frontal fez valer a espera, com a mesma velocidade e voracidade ela tira toda a minha roupa me deixando totalmente pelado, fico em pé na cama e ela de joelhos, mete a boca com vontade no meu pau mostrando que realmente estava muito afim, ele realmente capricha, enfia meu pau todo na boca, depois lambe e chupa minhas bolas, e olhando o nosso reflexo no espelho peço pra ela parar se não iria gozar na boca dela.rnMe abaixo e arranco a calcinha dela, tendo a visão daquela buceta deliciosa, ao mesmo tempo pequena e carnuda, não totalmente raspada, mas com os pelinhos bem ralinhos, enfio meu dedo dentro dela, e logo ela me diz: ?Quero de quatro na frente do espelho? se virando em direção ao espelho e se ajeitando na posição, e completa dizendo: ?hoje você pode gozar dentro?. Me ajoelho atrás dela e penetro meu pau naquela buceta molhada, ela solta um gemidinho quando entra, eu já muito louco de tesão, gozo rapidinho dentro da xaninha, ela já me conhecia sabia que eu gozava rápido na primeira, então ela levantou foi até o banheiro se limpar e voltou já querendo a segunda.rnEu estava em pé ao lado da cama e foi sá ela me tocar de leve que eu já estava pronto para o segundo tempo, em pé mesmo virei ela de costa pra mim, e enfiei meu pau dentro dela e ela suspirou gostando de me sentir entrando, sem tirar a penetração caminhei com ela até a frente do espelho onde ela apoiou as mãos e empinou a bundinha pra que eu pudesse comer gostoso a buceta dela, metia gostoso, e ela dava gemidinhos de prazer, pra ficar mais confortável arrastei uma cadeira para a frente dela, ele ajoelhou e se apoiou no encosto, enquanto eu enfiava e tirava meu pau de dentro dela, meti com força e gozei de novo dentro dela, fazendo ela suspira e sorrir.rnDepois de duas seguidas precisamos de um descanso, ficamos deitados conversando um pouco e partimos para a terceira e melhor tranza da noite, com ela deitada, ajoelhei e coloquei as pernas dela para cima deixando os pés dela na altura do meu rosto, penetrei, chupava os pés dela e o reflexo, daqueles pezinhos com as unhas vermelhas no espelho me excitavam ainda mais, eu metia com mais tesão, tesão que ela também sentia, pois gemia e gritava como nunca tinha feito antes, ela passava as mãos no meu peito me aranhando e virando os olhos, percebi que aquele era o momento e bombei o mais forte e mais rápido que pude, fazendo ela gritar muito alto enquanto eu enchia a buceta dela de porra e prazer.rnMas uma vez precisamos de descanso, Ela se vestiu e eu também coloquei minha cueca, deitamos de conchinha, perecia que não iria acontecer mais nada, sá parecia, nossos corpos juntinhos refletidos agora no espelho do teto, ligou novamente o nosso tesão, puxei pra baixo seu vestido, deixando os peitos deliciosos dela para fora, eles eram perfeitos, nem muito grandes nem pequenos, os biquinhos rosinha claro combinavam perfeitamente com seu tom de pele. Em baixo deslizei novamente aquela calcinha preta pelas coxas dela até saírem pelos seus calcanhares, deixando somente com o vestido enrolado na altura de sua barriga, ela põe a mão para traz puxando minha cueca para baixo, e com a mão no meu pau direciona ele até a entrada daquela buceta e mais uma vez estou lá, agora comendo ela de conchinha, posição que não demora muito a ser mudada quando ela vira e fica deitadinha com o bumbum pra cima e eu de joelhos vejo todo o movimento do meu pau invadindo a xana dela e ainda me delicio com a imagem daquele cuzinho rosa, até mais uma vez depositar minha porra bem lá dentro.rnDepois disso cada um foi pro seu canto, e ainda trocamos umas mensagens de vez em quanto, mas realmente não sei se voltara a acontecer. rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS