Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PADRASTO NEGÃO COMEU MEU CUZINHO

Essa é a primeira vez que escrevo um conto, então estou um pouco perdida ainda, mas mesmo assim vou tentar. Antes de tudo minhas características: Sou loira, 1,65 de altura, olhos verdes, cabelos lisos e longos, 52 quilos, seios e bumbum médios. Lembrando que tudo isso é uma historia real, a minha historia. Enfim vamos ao que interessa.rnQuando eu tinha oito anos de idade meus pais se separaram, até hoje não sei direito o motivo, mas enfim, papai nos deixou com a casa e foi morar no interior, no começo foi tudo muito difícil, porque éramos sá mamãe e eu, mas depois nos acostumamos, hoje em dia quase nem temos contato com ele. Mamãe sempre foi uma mulher muito bonita, porém muito tranquila em questões de relacionamentos, sá depois de dez anos de divorcio arranjou outro namorado; um homem de quarenta e dois anos, cinco anos mais jovem que ela. Sempre dei o maior apoio no relacionamento deles, porque eu achava que mamãe precisava se distrair um pouco, afinal de contas ela sá trabalhava. Depois de um ano de namoro, ele foi morar com a gente. Vou chama-lo de Pedro (nome fictício). Pedro era um homem negro, de mais ou menos 1,85 de altura, bem entroncado, braços fortes, ombros largos e pernas grossas. Ele era dono de uns dentes bem brancos e um sorriso muito bonito, realmente ele era um homem bastante atraente, que chamava a atenção. Ele adorava jogar futebol e praticar esportes, por isso tinha um corpo tão definido. Nossa relação sempre foi muito boa e amigável, eu não tinha o menor interesse sexual por ele, embora o achasse bonito. Pedro e mamãe trabalhavam praticamente no mesmo horário, então os dois sempre estavam em casa na mesma hora. Depois de seis meses morando com a gente Pedro teve que tirar férias, ele fez de tudo para tentar mudar, porque queria estar de férias na mesma época que mamãe, mas isso não foi possível, por algum problema na empresa que ele trabalhava. Então começamos a nos ver mais em casa, não tínhamos empregados, então era sá ele e eu. Geralmente era eu quem mais cuidava da casa, já que fazia faculdade à noite, sá que durante as férias de Pedro, quando eu acordava, ele já havia feito várias coisas, como se quisesse me agradar, e eu educadamente agradecia. Ele dizia que eu não precisava agradecer, por que era obrigação dele ajudar também, já que ele morava com a gente. O que por um lado era verdade. Um dia acordei e fui pra cozinha, dei de cara com Pedro sá de cueca, levei um susto, pois eu nunca tinha o visto assim, ele sempre me respeitou muito. Ele fingiu que nada estava acontecendo, embora tivesse percebido que eu me assustei, então eu também comecei a agir normal, para não deixar a situação mais constrangedora ainda. Ele estava fazendo café e andava de um lado para o outro, como se quisesse se exibir para mim. Acabou sendo inevitável e eu reparei que ele tinha um volume bem grande dentro da cueca? Eu comecei a lavar a louça e ficamos conversando normal, até o momento em que ele trouxe mais algumas coisas pra eu lavar, Pedro chegou por trás de mim e colocou as coisas na pia, ele fez questão de encostar todo o seu corpo no meu, senti aquele pacote na minha bunda. Levei outro susto, e olhei pra ele com um ar de repreensão, imediatamente ele me pediu desculpas e falou que estava distraído, eu ainda meio assustada disse que estava tudo bem. Tomamos café, tudo numa boa e depois fomos cada um pro seu quarto. Eu não conseguia parar de pensar no que havia acontecido, não sabia se tinha gostado ou não, e eu também pensava na minha mãe. Porém eu disse pra mim mesma, que se aquilo acontecesse de novo, eu ia deixar pra ver até onde chegava, por que eu não sabia direto o que estava acontecendo. Pensei que eu pudesse estar confundindo as coisas, e não queria estragar o relacionamento deles. Então tinha que ter certeza pra poder fazer qualquer coisa. Durante a tarde tudo foi normal, almoçamos, conversamos de boa e quando estava anoitecendo mamãe chegou e eu fui pra faculdade. No outro dia acordei e fui pra cozinha como de costume, e lá estava ele, sá de cueca, todo simpático, fazendo o café. Sentei-me a mesa pra comer, ele chegou perto de mim e colocou café no meu copo, eu agradeci. Rapidamente ele encostou o pacote no meu braço e logo se virou, fingi que não tinha acontecido nada. Tomei meu café da manhã e ele conversando comigo, quando me levantei e fui até a pia, logo ele veio e me abraçou por trás, de uma forma carinhosa, sem encostar muito em mim, disse que eu era um orgulho de menina, e que ele e minha mãe gostavam muito de mim, confesso que eu estava perdida, não respondia nada, não sabia o que fazer e por um impulso acariciei seus braços como uma forma de aprovação, ele imediatamente percebeu e foi aproximando seu corpo do meu. Então senti seu pacote encostar em mim e aqueles braços fortes me envolverem ainda mais. Na mesma hora me esqueci de tudo e me entreguei àquele negão delicioso. Ele me agarrava, mordia minha orelha, pegava nos meus seios, estava louco. Eu sentia seu pau crescendo dentro da cueca, enquanto isso eu esfregava minha bunda nele. No mesmo instante ele me virou de frente e disse que era louco por mim, que tinha sonhado comigo várias vezes e sabia que eu estava balanceada por ele. E eu realmente estava, senão não deixaria isso acontecer. Ele me carregou e me levou até meu quarto, o pau dele estava quase escapando de dentro da cueca. Eu estava usando um shortinho e uma camiseta que sempre usava pra dormir. Ele tirou minha camiseta e começou a pegar nos meus seios, em seguida começou a mamar que nem um bebê, era delicioso sentir a língua dele tocando meus bicos. Depois de um tempo ele desistiu dos meus seios e tirou meu shorts, me deixou sá de calcinha, então começou a beijar minha barriga e foi descendo, passando a língua em cada centímetro do meu corpo, a boca dele chegou na minha calcinha e ele foi baixando ela com a boca mesmo, em seguida tirou tudo e me deixou peladinha. Então caiu de boca na minha bucetinha e chupou muito, lambia, mordia e beijava. Ele me pediu pra ficar de quatro, imediatamente obedeci, eu estava louca de tesão, nunca um homem tinha me chupado tão bem. Empinei bem a bundinha pra ele, ele começou a passar a língua no meu cuzinho, tentava enfiar a língua dentro dele. Eu estava ficando louca de tesão, ele não parava de me falar sacanagens, me chamava de gostosa, dizia que sempre batia uma pensando em mim, e que tava louco pra me comer, eu sá gemia e me contorcia toda. Ele perguntou se eu queria mamar no meu pau dele, respondi que sim. Na mesma hora ele tirou a cueca e aquele pauzão enorme pulou pra fora, era grosso, com algumas veias e uma cabeça bem grande. Ele deitou na cama e me pediu pra cair de boca, eu comecei a chupar aquela cabeça deliciosa, tentava colocar tudo na boca, mas não conseguia, lambia que nem uma criança chupando pirulito, beijava e babava naquela rola gostosa. Então ele me falou que queria meu cuzinho, dizia que ia fazer com muito carinho. Na hora eu fiquei com medo, mas ele foi me passando confiança, me colocou de quatro novamente e lubrificou mais ainda meu cuzinho com lambidas e chupadas. Senti-o esfregando a cabeça do pau no meu buraquinho, e logo começou a forçar a entrada, ele dizia pra eu relaxar, logo senti que estava sendo rasgada, a cabeça tinha entrado, eu gemia de dor, ele parou e deixou sá a cabeça lá dentro, enquanto isso ele massageava minha buceta, aproveitando que eu estava de quatro. Depois de um tempinho a dor foi virando prazer, pressionei minha bunda com a rola dele dentro pra que ele seguisse em frente. Sentia-o enfiando cada centímetro daquela rola gigante no meu cu, parecia que não tinha fim, eu gemia de prazer, então senti suas bolas na minha bunda, havia entrado tudo. Depois disso ele começou um movimento de vai e vem, bem devagar, tirava quase tudo e colocava até as bolas novamente. Ficou fazendo esse movimento por um bom tempo, eu estava enlouquecendo de tanto tesão, quando não aguentei mais e gozei, no mesmo instante Pedro me agarrou com mais força e senti sua porra escorrer pela minha bunda. Depois disso fomos tomar banho juntos, conversamos muito a respeito da gente e de mamãe, ele me disse que não era pra eu me sentir culpada, falou que se existisse algum culpado nessa histária era somente ele. Mesmo assim às vezes eu fico chateada por isso, mas meu tesão pelo Pedro acaba sendo maior e sempre que temos a oportunidade, meu padrasto negão come meu cuzinho. Por sorte mamãe nem desconfia.rnBom, galera é isso, espero que tenham gostado.rnBjinhosrn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS