Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TIO COME SOBRINHA NA ESCADA!

Olá. Esse é meu primeiro conto. Espero que gostem. Tenho tantas outras histárias gostosas!



Tudo começou com olhares entre eu e meu tio mais novo. Eu tinha 22 aninhos nada inocentes, corpão gostosona, e meu tio, casado, já com 31 anos, professor de academia, de caratê, isso quer dizer, corpo maravilhoso.



A família toda estava reunida num restaurante para comemorarmos o aniversário de um dos meus primos. Muita comida, muita bebida!!



Na hora de irmos embora, como morava pertinho do restaurante, e fui a pé, e meu tio se ofereceu para me acompanhar.



No caminho, começou a me perguntar sobre namorados, se tinha algum compromisso, se estava saindo muito, essas coisas. Disse que estava aproveitando muito a vida, e dei uma piscadinha pra ele. Ele sorriu, safadamente, e baixou a cabeça.



Quando chegamos na porta de casa, ele perguntou se eu iria ficar bem. Disse que sim, faltava apenas subir as escadas. Naquele horário, minha avá já estaria dormindo, e um casal de tios, que passavam a noite lá aquele dia, tb.



Ele perguntou se poderíamos conversar um pouquinho na escadaria. Perguntei se ele não teria problemas com a mulher dele, pois já estava tarde. Ele disse que não, que estaria cuidando da sobrinha mais velha dele. Aí, foi minha vez de dar um sorrisinho safado, e baixar a cabeça.



E ele continou com a conversa de antes: namorados, ficantes, festas. Ele disse que deveria estar cheio de machos atrás de mim, pois estava muito gostosa, com uma bunda bem arrebitada. Disse que eu deveria estar deixando os homens loucos. Perguntei se ele ficaria louco, tb, como os machos que estavam atrás de mim. A resposta dele foi um puxão e sentir a língua quente dele dentro da minha boca.

Ele já estava louco de tesão.



Minha calcinha já estava encharcada. Ele me beijava com muito tesão, e começou a passar a mão nos meus peitinhos. Uma loucura! Logo, tirou minha blusinha e pôde encher as mãos com meus peitos. Chupava-os como se fossem fugir.



Eu comecei a gemer gostoso, alto, mas me lembrei que minha avá e meus tios poderiam acordar e abrir a porta. Dariam de cara com a gente se malhando.



Controlei meu gemido. Ele começou a se esfregar em mim. Ele segurava minha bunda, e me puxava de encontro a ele, fazendo eu sentir aquele pau, e que pau! Já estava morrendo de tesão, sá de senti-lo pela calça. Ele abriu minha calça jeans apertadinha. No começo, fiz um charminho pra ele parar, dizia que não, tudo fingimento, claro! Estava louca pra que ele me comesse.



Ele foi enfiando a mão dentro da minha calça apertada, e tentava, sem muito êxito, chegar no meu grelinho, que já estava latejando de tesão. Com a outra mão, me fez pegar naquele pau duro, por cima da calça dele. Ele gemeu gostoso, e bambeou as pernas. Rssss. Tadinho! Eu lambia o pescoço, a orelha, a nuca, a boca. Ele já não aguentava mais em pé.



Até que ele achou meu bem mais precioso, meu grelinho inchado. Estava ensopada. Enquanto ele esfregava o dedo, chegava a fazer barulho de tanto mel que tinha. Ele me olhou impressionado. Me disse que era muito tesuda, quente. Que não tinha visto ninguém tão molhada assim. Que prazer estava sendo cuidar da sobrinha mais velha dele.



Arrancou minha calça, de me deitou na escada e arregaçou minhas pernas. Meu grelinho inchado pedia pela boca dele.

Ele mamou feito um louco, bebeu todo meu mel, me comeu com a prápria boca. Que delícia. Que tesão. Nunca senti nada tão gostoso. Me fez gozar na boca dele.



Me levantou e virou de quatro. Arregaçou meu cuzinho. Ainda todo melado da minha bucetinha, enfiou a cara no meu anelzinho. Que tesão era aquela língua, que poder tinha ela.

Ele dizia que o pau dele ia estourar de tanto tesão.

Foi nessa hora que eu disse que eu queria que ele explodisse dentro do meu cuzinho.



Não precisei falar duas vezes. Na hora colocou o enorme pau dele pra fora, passou a mão na minha bucetinha e pegou o melzinho e passou na cabeça do pau.



De costas, senti aquela cabeça enorme bater na porta do meu cuzinho. Sá disse: - Mete tudo!



Uaaauuuu!!! Que loucura! Na hora, já senti as bolas batendo na minha bucetinha. Ele metia feito louco, gemia alto, segurava em meus peitinhos e bombava meu cuzinho.

Eu pedia mais força, e ele atendia meus pedidos. Socava cada vez mais forte. Gozei com o pau dele no meu cuzinho, feito uma putinha. Logo em seguida, ele me deu uma estocada que quase caí, foi então que ele gozou. Ele metia e a porra dele escorria pelo meu cuzinho e bucetinha. Eu olhava por baixo e via pingando. Que delícia. Nos fartamos de tanto tesão.



Nos vestimos. Tiramos mais uns sarrinhos e ele foi embora.

Fui dormir com meu cuzinho arrombadinho. Nem liguei. Foi maravilhoso!

Antes de dormir, ainda bati uma siririca pensando no que aconteceu! Delícia!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS