Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU FILHO ME ARROMBOU TODA

Me chamo Julia, hoje tenho 42 anos e muito bem abençoada de meu corpo, sempre procurei não deixar que nada caísse, indo na academia, fazendo corridas e nadando, tenho 1,67 cm, 63 kg, cabelos negros na cintura, olhos castanhos claros, tenho seios de médios pra pequenos, pernas bem torneadas e um bumbum de dar inveja a muita menininha de 20 anos. Infelizmente a vida tratou de levar meu marido que fumava muito e acabou vindo a falecer. Tive meu 1ª e único filho com 23 anos e hoje ele está com 19 anos, se chama Paulo, um lindo homem, estava tbm sembre malhando e para as patricinhas de plantão, sempre que o viam ficavam babando. Depois da morte de meu marido, minha união com meu filho ficou mais forte ainda. Eu trabalho em uma empresa de grande porte e graças a Deus, minha remuneração sempre foi grande e por causa do trabalho as vzs sentia e via que não tava dando muita atenção a Paulo até mesmo pq saía de manhã e sá voltava a noite as vsz até tarde da noite pq ia direto pra academia e ele em voltas com a faculdade, as vzs chegava em casa e ele tava dormindo e tbm acontecia o contrário. No meu tempo de casada meu falecido marido sempre me deu forças e me elogiava por causa do meu corpo, que tinha que expor o corpo que eu tinha, pra usar roupas coladas e curtas, mas sem deixar que ficassem vulgar. Quando ia trabalhar ia de jeans colado ou com uma calça social mais justa, mas nada de vulgar, na academia ia com uma leg básica e um camisão cobrindo tudo e em casa tava sempre com um shortinho de algodão ou de lycra e nada enfiado. Teve um dia em que saí do trabalho e como estava um pouco cansada resolvi ir pra casa, queria tomar um banho, dar uma relaxada e tentar curtir meu filho um pouco, pq sempre que dava ficávamos conversando sobre tudo, qualquer assunto, as vzs era coisa séria, as vzs ficávamos rindo de tanta besteira. No caminho pra casa, do nada comecei a lembrar de meu marido, de como éramos ligados, de coisas que fazíamos juntos, de como ele ma tratava e como nos amávamos quando fazíamos amor (como era gostoso), era uma loucura, com aqueles 19 cm de pica, ia na lua e voltava. Chegando em casa, vi que meu filho já estava em casa, falei que iria tomar um banho e já voltaria pra conversar com ele, tava doida pra tirar aquela roupa e entrar numa ducha bem gelada. Tirei a blusa depois os sapatos e em seguida minha calça jeans, fiquei de calcinha e sutien, peguei minha toalha e fui no banheiro, no caminho meu filho da cozinha perguntou se tomaria uma cervejinha com ele, disse que sim, mas que não muita pq no dia seguinte era dia de branco e tinha que acordar muito cedo. Entrei no banheiro e deixei a porta aberta, não tinha problemas em relação a Paulo pq sempre tivemos uma relação muito aberta e tanto eu passava de calcinha e sutien na frente dele como ele tbm passava sá de cueca na minha frente. Bom, tirei o sutien dei uma olhado no espelho pra ver se ainda estava tudo encima e fui tirar a calcinha, reparei que estava molhada e fiquei imaginando que corrimento teria sido aquele, de primeira fiquei até preocupada, mas então lembrei dos pensamentos que tinha tido com meu ex-marido e comecei a ficar molhadinha de novo. Entrei no banho gelado, dei uma boa relaxada, mas não conseguia parar de pensar e acabei tocando uma siririca gostosa com todas aquelas lembranças e gosei feito uma louca, sai com a toalha enrolada em meu corpo. Entrei no meu quarto ia colocar uma camiseta e um shortinho, lembrei da cerveja e como não ia beber muito e ainda estava um pouco em “estado de alerta” resolvi colocar meu baby-doll pra depois já deitar e ir dormir. Era uma camisetinha bem larga, que dependendo do gesto ou a posição em que eu ficava, meus peitos ficavam completamente a amostra e uma calcinha que era tipo shortinho que de tão pequeno nem precisava puxar ele pra cima que ele mesmo já se socava todo dentro da minha bunda, coloquei um perfuminho e fui encontrar meu filho para beber uma cervejinha e conversar-mos. Quando cheguei à sala já tinha uma latinha aberta e dois copos na mesinha, olhei em volta e não vi Paulo, então inclinei o corpo pra frente meio que dando uma empinadinha no bumbum pra encher os copos quando meu filho aparece por trás de mim e fala – Que isso mãe, pra quem é esse cheiro todo hein ??? Tomei meio que um sustinho levantei e disse – Pra ninguém seu bobo. Quando virei e perguntei onde ele estava, assim que ele começou a me responder não conseguia parar de olhar pro seu membro, nossa que volume todo era aquele ???, e me senti meio que molhadinha de novo, cheguei a dar uma engolida seca e imaginando que tamanho devia ser aquele caralho. Pensei comigo... ta maluca, é seu filho e isso não pode, é errado. Então ele começou a desconversar pq ele viu que não conseguia desviar o olhar e puxou um papo qualquer... Sentamos no sofá um de frente pro outro, ele tinha ido pegar alguns amendoins para juntar a cerveja, ficamos ali um bom tempo conversando, já tinha perdido a noção da hora e quanto já tínhamos bebido, ainda estava bem, mas tbm ainda não tinha levantado pra nada, comecei a ficar com medo de levantar e dar vexame, até que teve uma hora em nossas conversas que fui virar o corpo pra poder explicara ele o que eu pensava e meio que gesticulando com os braços, minha camisetinha destampava e tampava novamente meus seios e a cara roçada que ela dava meus bicos foram ficando cada vez mais duros, na hora até me deu um pouco de excitação, mas quando vi um certo volume em meu filho, cortei logo a conversa olhei para o relágio que já eram quase uma e meia da madrugada que já estava muito tarde e que iria dormir. Já com cerveja na mente as pessoas acabam fazendo coisas sem noção, levantei , Pulo ainda sentado sá me filmando, dei uma expreguiçada com um gemidinho no final, dei um passo pra perto dele, inclinei meu tronco pra frente pra poder dar um beijo na testa dele, quando aconteceu uma coisa que nem senti... Meus peitos ficaram totalmente a amostra, bem na cara dele, quando me di por conta, já tinha feito mesmo, agora foda-se, dei o beijinho e fui para o meu quarto. Enquanto ele ficou arrumando a sala e levando as coisas pra cozinha. Deitei em minha cama e fiquei lembrando do volume em Paulo, fiquei excitadíssima imaginando o tamanho que devia ser, mas comecei a colocar em minha cabeça que não podia pq era meu filho e isso era proibido, então pensei, o proibido é sempre mais gostoso, tentava parar de pensar nele e ao mesmo tempo pensava mais ainda e ia cada vez mais ficando toda meladinha. Fiquei um pouco deprimida e comecei a chorar um pouco, Paulo quando estava vindo pro quarto dele acabou escutando e chegando na porta que estava um pouco encostada, foi abrindo e meio que assustado perguntando se estava tudo bem, viu que eu realmente estava com os olhos cheios de lágrimas, sentou perto de mim na cama e perguntou o que houve ??? Disse que estava me sentindo muito sozinha, então ele me abraçou e disse que eu não estava sozinha, que ele estava ali comigo, que eu não precisava ficar daquele jeito pq ele estava ali pra qualquer coisa e frisou quando disse – Mãe, qualquer coisa mesmo. Naquele momento me senti um pouco aliviada, mas a verdade é que realmente as vzs sentia falta de uma presença masculina. Passaram uns momentos ali abraçados e então Paulo perguntou se eu não gostaria que ele dormisse ali comigo essa noite. Como ainda estava mais pra baixo do que bem concordei. Ele levantou, deu a volta na cama e deitou ao meu lado, sá tinha a luz do banheiro acesa e ficou até meio que aconchegante. Quando foi por volta de três e pouca da manhã, acordei com um fogo danado, coloquei a mão por baixo da calcinha do baby-doll e senti minha buceta encharcada, por segundos esqueci que Paulo estava ali do meu lado e comecei a me masturbar, comecei de mancinho e fui aumentando a velocidade aos poucos e acabei gozando, não satisfeita queria mais, pensei em levantar e ir na cozinha catar algo que pudesse enfiar em minha buceta sem que me machucasse, foi então que olhei pro lado e vi Paulo dormindo embaixo das cobertas e comecei a pensar que é meu filho e que era errado tentar algo, mas o que ele tem entre as pernas seria perfeito pra mim, até mesmo que sá lembro de ter visto ele nu até sua adolescência (quando ainda era moleque), fui chegando minha mão pra perto dele até que encostei nele, comecei a procurar o que queria e quando encontrei levei um susto e pensei – Porra esse garoto ta de pau duro... Bem grandinho ele... fiquei ali alisando aquele pau até que ele acordou e no espanto e meio que chegando pra trás disse – Que susto mãe !!! E eu toda sem graça e pedindo desculpas, que não devia ter feito aquilo, ia começar a virar de costas pra ele quando segurou a minha mão e a levou até seu pau colocando encima dele e disse – Eu não disse a senhora que estava aqui com vc pra qualquer coisa, não precisa ficar com vergonha, sou seu filho e não tem nada aqui que vc já não tenha visto, relaxa mamãe. Imediatamente tirei minha mão de onde estava, puxei a coberta pra fora de mim, me deu um calor infernal, com Paulo me olhando com aquela roupa e me abanando, começou a ficar de pau duro, chegou pra perto de mim, pegou minha mão de novo e colocou-a sobre sua pica endurecida. Quando senti aquilo com a mão que parecia mais uma barra de ferro, levei um susto e perguntei o que era aquilo... Com 19 anos Paulo tinha uma pica de 22 cm por 6cm. Ele levantou a coberta me mostrando, arregalei os olhos e imaginei aquilo todo entrando em mim, na hora cheguei a babar, minha buceta pulsava de tanto tesão. Disse a Paulo – Meu filho vem cá, deixa mamãe ver isso de perto..., debrucei sobre a perna dele, segurei aquele mastro com a mão e comecei um vai e vem bem devagar e disse – Meu filho isso não cabe em mamãe não.... Ele respondeu – Cabe sim mãe com jeitinho cabe..., então abri um sorriso e tentei enfiar aquela coisa gigantesca na minha boca, mau entrava a cabeça e eu começava a golfar e tirava ele todo de minha boca e tentava enfia-lo de novo e acabava golfando, fiquei dando beijinhos na cabeça e dando chupadinhas.... Ele então ficou de joelhos na minha frente, puxou minha camiseta pro lado deixando meus seios todos descobertos e começou a mama-los, como um bezerrinho.... Aquilo tava me levando a loucura, minha buceta já expelia um pouco de goso de tão encharcada que tava. Me pediu pra ficar de quatro pra ele, virei e fiquei de quatro, mas disse – Assim vc vai machucar a mamãe... Ele respondeu – Relaxa mãe, não vou te machucar, sou seu filho e vou cuidar de vc com muito carinho, como sempre fiz... E largou um tapão na minha bunda.... Dei um berro – AAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIINN !!!!!, Então ele delicadamente se posicionou atrás de mim, fazendo carinhos na minha bunda e cada vez chegando perto da minha buceta, o que ele tava fazendo tava me deixando maluca eu contorcia o corpo e ficava gemendo. Paulo colocou as duas mãos sobre minha bunda e devagarzinho foi tirando minha calcinha e arriou até meu joelho deixando minha buceta que teve pegando fogo e meu cuzinho a amostra. Chegou bem pertinho e começou a dar lambidinhas na minha buceta e minhas pernas quase bambas, veio para o meu cuzinho e ficou brincando com a língua e eu com a respiração forte, então ele ficou de pé na cama e apontou aquela cabeça enorme na minha xana que já estava suplicando por pica e devagar ele foi mexendo pra cima e pra baixo, de um lado pro outro e foi enfiando bem devagar, mesmo com minhas pernas bambas estava sentindo cada centímetro daquela cabeça enorme entrando em mim, então ele começou a for mais e mais e aquela pica enorme foi entrando e entrando e tava muito gostoso. Isso meu filho come a mamãe bem gostoso... Pode deixar mãe vou te dar carinho de filho que vc nunca vai esquecer... Sentindo aquela vara enorme cada vez mais dentro de mim, gemia com um tesão incontrolável e ela ainda vinha colocando bem devagar, enfiava um pouco e tirava tudo, depois enfiava de novo e toda vez que ele colocava sentia aquela cabeça enorme abrindo minha buceta molhada de meu goso, ele esticou o braço pra frente, pegou em meus cabelos e disse – Agora mamãe vou te levar na lua !!! Deu um puxão em meus cabelos forçando minha cabeça pra trás e com isso me fez empinar mais ainda minha bunda então aquele filho da puta enfiou aquele piru enorme de uma vez sá. Pensei que tivesse desmaiado com tanta dor dei um berro – PORRA PAULO....AAAAAAAIIIIIIN......CARALHO TA ME MACHUCANDO, PARA COM ESSA PORRA..... E quem disse que tinha forças pra fazer algo, estava sendo totalmente conduzida pelo meu filho com aquela piroca enorme dentro de mim e ele puxando meus cabelos e ele continuou a enfiar e ficou naquele vai e vem e foi acelerando, com isso foi me dando mais tesão e fui esquecendo a dor, tava gostoso demais, eu ali de quatro na minha cama sendo enrabada pela piroca de meu filho..... Que tesão alucinado era aquele, era tanta estocada que ele dava que ia até o final de minhas entranhas e a cada estocada eu soltava um gritinho... – AI...ISSO...UI....METE....CARALHO...AIN.....AIN....NÃO....PARA.... Então comecei a anunciar o meu goso e depois me arrependi, ele deu uma acelerada no vai e vem tão grande que eu já não conseguia mais ficar de joelhos, não fazia mais diferença entre dor e tesão, sá sei que tava gostoso demais.... AI.....PORRA....AGORA.....VOU GOSAR....PUTA QUE PARIU.... HUMMM.....AINN.....ISSO.... E explodi em goso, então ele tirou sua tora de dentro de mim e eu deixei meu corpo cair na cama, não aguentava mais nada, fiquei deitada de bruços, quando senti seu corpo quente deitando em cima de mim e até que tava bom, sá que o danado ajoelhou bem atrás da minha bunda e foi abrindo ela com as mãos e simplesmente deixou seu piru entre minhas nádegas. Eu já não aguentava mais, sá queria dormir, ele disse – Estica os braço pra frente que vou te fazer uma massagem. Cheguei a soltar um sorrisinho na hora.... era tudo que eu precisava depois de toda aquela caralhada que levei....., mas tava bom demais pra ser verdade. Paulo então pegou em meus braços e dobrando por cima da minha cabeça, colocou minhas mãos na minha nuca e segurou com uma das mãos, não conseguia me mexer e ele já estava em cima de mim, achei muito estranho aquilo e quando perguntei – Paulo que porra é essa, o que vc vai fazer ??? Sá escutei ele cuspindo na outra mão e lambuzando a cabeça de seu pau então ele cospe de novo na mão e sinto ele passando a mão por entre minhas nádegas.... Comecei a ficar preocupada e perguntei a ele – O que vc ta fazendo meu filho ??? E ele nada de responder foi então que senti uma coisa grande meio que procurando espaço onde não tinha e imaginei o que estava pra acontecer e pedi – Não faz isso com mamãe, por favor, não faz meu filho... Então ficou aquele silêncio, então bem devagar aquela piroca foi abrindo mais ainda minhas nádegas até achar a porta do meu cuzinho e não parava de pedir para que ele não o fizesse.... E ele bem devagar foi empurrando o piru pra dentro, e aquela cabeça veio me abrindo, e abrindo cada vez mais e eu gemia com uma dor infernal e ele não parava cada vez infiava mais ainda e o pau foi entrando cada vez mais, as lágrimas já escorriam e entre gemidos e contorcidas que dava em meu corpo ele foi se deitando em minhas costas e parecia que aquele pau não tinha fim.... Nossa como doía, depois que colocou tudinho, começou um vai e vem alucinado, com o tempo a dor deu espaço a excitação e tava cada vez mais gostoso sentir toda aquela pica em meu reguinho, mais uma vez anunciei meu goso, mas dessa vez ele não judiou de mim, apenas continuou no vai e vem que estava e gozei absurdamente. Ele começou a tirar seu pau de dentro do meu cuzinho e fui sentindo cada pedaço daquele mastro. Soltou minhas mãos e saiu de cima de mim. Deitou do meu lado e perguntou se estava tudo bem, disse que no momento estava acabada e sá amanhã que iria ver o estrago que ele tinha feito em mim. Então pensei – Ele ainda não gosou, pelo menos não senti nem dentro de mim e nem fora, agora ele tá fudido, sei que homem depois que gosa se continuar tocando punheta logo dá vontade de mijar, era a minha chance. Virei pra ele e já agarrando aquele pau enorme disse – Dá leitinho pra mamãe dá... Abocanhei seu piru e comecei a chupa-lo frenéticamente, um vai e vem animal e ficava tocando pra ele, dava beijos na cabeça e lambidinhas, olhei pra Paulo e vi que ele não iria demorar a gozar, e deixei que ele o fizesse todo dentro da minha boca, sem deixar que uma gota se quer caísse e engoli tudo.... quando ele ia começar a relaxar, voltei a tocar uma punheta e ele quase deu um pulo da cama, continuei fazendo e ele começou a ficar desesperado, pq a cabeça estava sensível e ele iria acabar fazendo xixi.... Ai foi a minha deixa – Tá sensível ??? Vai fazer xixi ???, faz xixi pra mamãe ver.... e continuei até que começou a sair um jato de mijo quente e virei pra cima dele e ele tentando colocar a mão na frente e não conseguia, quando terminou larguei seu pau e disse - Ta vendo como é bom ??? Anda levanta e vamos tomar um banho.... Fui muito infeliz quando disse isso..... Já no banheiro....esse é um outro conto.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS